Aldeias Históricas lideram comunidade internacional do Turismo Sustentável

125

Aldeias Históricas de Portugal

 

Depois de ter recebido, em novembro de 2018, o certificado Biosphere Responsible Tourism (Turismo Responsável da Biosfera), integrando assim o primeiro destino em rede no mundo, as Aldeias Históricas de Portugal, o primeiro organismo nacional a receber esta distinção, volta a ser pioneira, ao receber do Instituto de Turismo Responsável (ITR), a responsabilidade de liderar a comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis. Esta é assim a primeira vez que um destino português é escolhido para este cargo.

Até ao momento, esta liderança estava a cargo da região de Thompson Okanagan, na Colúmbia Britânica. Situado no Canadá, este lugar foi eleito, em 2018 e 2019, como o Destino Mais Sustentável do Mundo. Agora, são as Aldeias Históricas de Portugal que vão dinamizar o projeto a nível internacional e pôr em prática um plano integrado de ação para os 28 destinos que fazem parte desta rede mundial.

A missão atribuída pelo ITR, que é uma organização internacional independente, que criou e desenvolveu o Sistema de Turismo Responsável, que se traduz na Certificação Biosphere Responsible Tourism, visa implementar ações e programas de desenvolvimento sustentável na indústria turística. A missão da comunidade Biosphere é tirar proveito das sinergias que podem ser criadas entre os vários destinos.

Das várias ideias propostas pelas Aldeias Históricas de Portugal, destacam-se a realização de uma ação de responsabilidade social conjunta, a promoção em rede junto dos operadores turísticos, a partilha de boas práticas entre as equipas, a transferência de conhecimento para os diversos destinos e o reforço do envolvimento das empresas do setor já certificadas em matéria de sustentabilidade no turismo.

Todas estas ações seguem as recomendações da Agenda 21 da Organização das Nações Unidas (ONU) e as linhas de orientação de vários programas da Organização Mundial de Turismo e da UNESCO, relativos ao desenvolvimento sustentável e à proteção do património cultural e natural.

Fonte: Reconquista.pt