Governo quer lançar bilhete único para acesso a museus do país

336

Évora Ticket

O Governo quer lançar um bilhete único que permita o acesso a vários espaços museológicos do país para que os turistas tenham uma experiência “mais simples”, afirmou esta segunda-feira a secretária de Estado do Turismo.

A titular da pasta da Turismo falava aos jornalistas no final da cerimónia de lançamento do Évora Ticket, o bilhete único da Rede de Museus de Évora, que decorreu no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, na cidade alentejana.

Rita Marques notou que o Governo ainda não conseguiu “materializar essa intenção”, frisando ter “muito gosto” em testemunhar o lançamento do projeto de Évora, que se segue a Lisboa, que também tem “uma oferta relativamente idêntica”.

A governante apontou o Évora Ticket como exemplo a seguir por outras cidades do país e desafiou “outros espaços e parceiros” da cidade alentejana, para que se possam juntar a esta rede de museus. “Se este projeto em Évora já foi desafiante, no contexto nacional será maior e demorará, com certeza, mais um bocadinho”, referiu Rita Marques, escusando-se a apontar uma data para o lançamento da iniciativa nacional.

Também em declarações aos jornalistas, o presidente da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, assinalou que o projeto “é inédito” e que se apresenta como “muito relevante para o território”.

O bilhete único da Rede de Museus de Évora, que tem coordenação da ERT do Alentejo e Ribatejo, entrou esta segunda-feira em funcionamento, tendo um turista britânico sido o primeiro a adquirir o Évora Ticket no Convento dos Remédios.

Cofinanciada por fundos comunitários, através do programa Alentejo 2020, a rede integra mais 12 espaços museológicos da cidade geridos por várias entidades, nomeadamente Câmara de Évora, Direção Regional de Cultura do Alentejo, Fundação Eugénio de Almeida, Universidade de Évora, Museu do Relógio, Palácio Duques de Cadaval e o Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo.

Através do “Évora Ticket” é possível visitar vários locais da cidade pelo valor fixo de oito euros (um dia), dez euros (dois dias) ou 12 euros (três dias).

Fonte: Observador