Vila Real avança com a musealização da central hidreléctrica do Biel

47

Central Biel, Vila Real

A Câmara de Vila Real anunciou esta quarta-feira a aprovação da candidatura ao programa Provere que permitirá avançar com a musealização da antiga central hidroeléctrica do Biel, projecto que representa, numa primeira fase, um investimento de 832.566 euros.

Vila Real inaugurou no século XIX uma pioneira rede de energia eléctrica, pela mão do alemão Karl Emil Biel, conhecido como Emílio Biel após se ter fixado em Portugal em 1857, onde desenvolveu uma carreira de empresário e fundou um famoso estúdio de fotografia. Em 1894, pela sua mão entrou em funcionamento, no rio Corgo, a primeira central hidroeléctrica de serviço público do país, alimentando a rede local de distribuição de electricidade até 1926.

Para recuperar o espaço, que se encontra ao abandono e em avançado estado de degradação, a Câmara de Vila Real elaborou um projecto que candidatou a fundos comunitários e que terá ainda a comparticipação de privados. O município disse ter sido informado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) da aprovação da candidatura para a musealização da Central do Biel e Fábrica do Granjo.

“Fica assim completo o processo que permitirá a preservação de um importante património arquitectónico e social de Vila Real, para além de permitir o seu usufruto pelos vila-realenses e por aqueles que nos visitam”, salientou a autarquia em comunicado.

A primeira fase do projecto tem, agora, “assegurado um financiamento do Provere – Programas de Valorização de Recursos Endógenos – no valor de 305.150 euros”. A este financiamento somam-se os cerca de 527.000 euros do orçamento municipal, representando um investimento global de 832.566 euros.

De acordo com a autarquia, a “implementação do projecto passará pela preservação do património existente, fechando o espaço para estancar o processo de degradação, depois de longos anos de abandono”. Os trilhos de acesso à central serão também recuperados no âmbito de um projecto complementar, que já está em execução, e que visa o alargamento do parque Corgo para a zona das escarpas, ampliando os percursos naturais e colocando pontes e passadiços.

O investimento global do projecto rondará os 1,7 milhões de euros. A segunda fase compreenderá a construção de um sistema de elevação (vagonetes) e a recuperação de alguns dos mecanismos electromecânicos originais da Central do Biel e da Fábrica do Granjo.

O município elencou ainda o protocolo celebrado com a Douro Gás, a primeira empresa do concelho a associar-se a esta iniciativa. A empresa irá patrocinar a componente interactiva do projecto da Central do Biel/Fábrica do Granjo que incluirá, nomeadamente, a criação de uma página “web”, o desenvolvimento de uma aplicação mobile e a instalação de totens interactivos.

Fonte: Público