Mostra evocativa de Amália na Berlinale

41

Amália Rodrigues

A Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema tem patente no Camões Berlim, no decurso da Berlinale, uma exposição evocativa de Amália Rodrigues. “Amália no Cinema” pretende dar nota da participação de Amália Rodrigues em filmes portugueses, entre 1947 e 1965.

“Conhecemos Amália Rodrigues pelo seu legado no mundo da música, mas ela teve também um papel fulcral na história do cinema português, com dois grandes êxitos. Um deles foi o ‘Capas Negras’ (1947) do realizador Armando Miranda, e, por exemplo, temos algumas fotografias originais deste filme, assim como o ‘Fado, História d’uma Cantadeira’ (1947), do Perdigão Queiroga, que também integra o acervo da Cinemateca”, acrescentou Patrícia Severino, directora do Camões Berlim.

É o terceiro ano que o Camões Berlim organiza uma exposição em parceria com a Cinemateca Portuguesa por ocasião da Berlinale.

‘Amália no Cinema’ está aberta ao público até dia 19 de abril. A Berlinale termina a 1 de março.