Livrarias unem-se em iniciativa conjunta para enfrentar a crise

171

livros

Mais de meia centena de livrarias independentes de todo o país uniram-se para criar uma rede de cooperação com o objetivo de conjugar esforços para enfrentar a crise no setor, agravada agora pelas condições criadas pela covid-19.

Denominada RELI — Rede de Livrarias Independentes, esta associação livre de apoio mútuo tem como objetivo “coordenar esforços para enfrentar a crise no mercado livreiro, que vem comprometendo, já há vários anos, a existência de pequenas livrarias em todo o país”, referem os livreiros, numa nota enviada à comunicação social.

Esta rede “tem uma causa: conjugar esforços para levarmos por diante os nossos projetos individuais e o grande projeto coletivo que é o de dotar o país de uma rede de livrarias especializadas e de proximidade”, sublinham, numa nota que é assinada, em nome de todos, por José Pinho, da Livraria Ler Devagar, e Rosa Azevedo, da Livraria Snob.

Juntamente com o lançamento da rede e do respetivo ‘site’, são lançadas duas ações conjuntas, “Livraria às Cegas” e “Fique em Casa”, numa tentativa de manter em movimento o negócio dos livros, procurando fazer face à atual conjuntura.

“Livraria às cegas” é uma iniciativa que desafia o público a escolher um livreiro, pedir-lhe livros “de olhos fechados” e, mediante um pagamento igual ou superior a 15 euros, receber um pacote-surpresa em casa.

A campanha “Fique em casa, mas não fique sem livros” apela aos leitores para que encomendem livros numa das livrarias independentes da rede, e os livros serão enviados sem encargos dos portes de envio.

Para mais informações (+)