Comunidades Judaica e Católica do Porto unem-se para combater pobreza na pandemia

104

Cinema

A Comunidade Judaica e a Comunidade Católica do Porto uniram-se em nome da solidariedade para responder à pandemia, numa altura em que a proposta do PS de alteração à lei da nacionalidade para descendentes de judeus sefarditas causou mal-estar.

Intitulado “A Luz de Judá”, o filme que foi lançado esta tarde no Paço Episcopal, no Porto, é fruto dessa parceria e conta a história dos judeus na cidade e no país desde a Idade Média. Trata-se de um projeto conjunto interreligioso que estará disponível nas plataformas Amazon, Apple TV e Vimeo.

As receitas da longa metragem – produzida pelo realizador Luís Ismael e com argumento da Centro de Investigação da História Judaica do Porto – reverterão, na totalidade, para o Banco Alimentar contra a Fome, o Centro Social da Sé, o Centro Social e Paroquial de Nª Senhora da Conceição e a Benéfica Associação Mutualista.

“Há ótimas relações humanas e de amizade entre a comunidade católica e judaica no Porto. O importante é o futuro e construir relações de amizade, porque o mundo já está cheio de violência. É preciso dar exemplos de paz, trabalhar valores de colaboração e de desenvolvimento humano”, declarou D. Manuel Linda, bispo do Porto durante o evento.

Em relação à polémica proposta de alteração à lei da nacionalidade, o bispo do Porto sublinhou que a lei de 2013 teve “bons resultados” e que só por motivos especiais devia ser alterada. “É uma lei ampla que permitiu a obtenção de cidadania a quem saiu há séculos. Esta nova lei seria mais restritiva”, criticou.

Já Dias Ben Zion, presidente da Comunidade Judaica do Porto, congratulou-se com a coexistência pacífica entre as duas comunidades e com o facto de juntas poderem ajudar o combate à pobreza face à Covid-19. “Através destas instituições, em conjunto, vamos alcançar mais pessoas”, sinalizou.

Fonte: Expresso

Filme (+)