Estado compra 65 novas obras de arte e aumenta valor para aquisições em 2021

259

Graça Fonseca, Ministra da Cultura

A coleção pública portuguesa de arte contemporânea conta com 65 novas obras, adquiridas pelo Estado por 500 mil euros, estando previsto um aumento para 650 mil euros para novas aquisições em 2021, foi hoje anunciado.

As 65 obras de arte, de 57 artistas portugueses e que abrangem pintura, desenho, escultura, fotografia e vídeo, criadas entre 2005 e 2019, foram compradas no âmbito da atual política do Governo de aquisições de arte contemporânea e hoje anunciadas pela ministra da Cultura numa sessão pública em Lisboa.

As obras, de artistas como Alice Geirinhas, Augusto Brázio, Daniel Blaufuks, Ana Pérez-Quiroga, Gabriel Abrantes, João Onofre e Patrícia Garrido, passam a integrar a Coleção de Arte Contemporânea do Estado.

Foram ainda adquiridas peças de, entre outros, Ana Manso, António Olaio, Pedro Barateiro, Artur Barrio, Bruno Pacheco, Catarina Botelho, Cristina Lamas, Pauliana Valente Pimentel, Mariana Caló e Francisco Queimadela, Jorge Queiróz e João Pedro Vale.

Com as 21 obras de arte adquiridas em 2019, por 300 mil euros, e com as 65 agora compradas por 500 mil euros, o acervo da coleção passa a integrar 1.290 obras de arte.

Segundo o Ministério da Cultura, em 2021 o valor disponível para aquisições de arte sobe para 650 mil euros e é fixado o compromisso de “atingir o valor um milhão de euros de investimento ao longo da legislatura” do atual Governo.

Para o primeiro semestre de 2021 está prevista a realização de uma exposição na qual serão reveladas as 86 obras de arte adquiridas.

Fonte: TVI24