Protocolo entre DGPC e IPMA promove inventário do património cultural do Alentejo Litoral

94

projeto_mergulho_historia

O património cultural subaquático do Alentejo litoral vai ser recuperado e inventariado, no âmbito do projeto “Um Mergulho na História”, segundo um protocolo entre a Direção-Geral do Património Cultural e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

O protocolo de colaboração, entre a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), vai permitir desenvolver “um sistema de informação geográfico que suporte processos de decisão e gestão do património cultural subaquático, o registo, análise e inventariação” dos sítios arqueológicos do litoral alentejano.

De acordo com o IPMA, em comunicado, o projeto intitulado “Um Mergulho na História”, vencedor do Orçamento Participativo Portugal (OPP) 2018, vai permitir caracterizar, num período de 24 meses, os vestígios arqueológicos relacionados com o património cultural náutico e subaquático e criar conteúdos em formato digital, recorrendo à realidade aumentada e virtual.

O projeto visa igualmente “a promoção do envolvimento das populações locais na temática da arqueologia náutica e subaquática como um valor cultural e a formação do treino em arqueologia náutica e subaquática a alunos do ensino superior”.

O projeto “Um Mergulho na História” foi criado por uma equipa multidisciplinar de arqueólogos subaquáticos, historiadores, engenheiros, biólogos, estudantes e voluntários, que pretendem desenvolver uma carta arqueológica subaquática integrada da costa do Alentejo litoral.

A carta arqueológica subaquática será partilhada com a Marinha Portuguesa, a Polícia Judiciária, os serviços dos ministérios da Cultura e do Mar e as autarquias de Alcácer do Sal, Grândola e Sines, no distrito de Setúbal.

Fonte: Linhas de Elvas

Projeto “Um mergulho na História” (+)