Município da Guarda elabora “Carta da Paisagem”

214

cobertor_papa_guarda
Cobertor de papa

A Câmara Municipal da Guarda está a elaborar a ‘Carta da Paisagem’ do concelho, que será constituída pelos bens culturais imateriais presentes no território e terá como objetivo reforçar a oferta cultural e turística.

Segundo o presidente da autarquia da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, o município iniciou o processo de elaboração da ‘Carta da Paisagem da Guarda’, coordenado pelo antropólogo Paulo Lima, “reconhecendo a riqueza e singularidade do potencial histórico, cultural e natural do concelho e do sentido de pertença da sua população”.

projeto consiste na realização de um trabalho de recolha no terreno “de caracterização dos bens culturais imateriais” das 43 freguesias do concelho.

A ‘Carta da Paisagem da Guarda’ será “um catálogo dos bens culturais imateriais presentes no concelho da Guarda, devidamente suportado por consulta de bibliografia, arquivo e trabalho de terreno, tendo em vista a sua valorização e reinterpretação, com o objetivo do reforço da oferta cultural e turística e a sua inscrição no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (InNacPCI)”, indicou Carlos Chaves Monteiro.

projeto que permitirá recuperar o património identitário do concelho da Guarda terá o foco no cobertor de papa (uma peça de lã de fio grosso, produzida a partir de lã churra de ovelha) e na cestaria de Gonçalo, mas também inclui o levantamento “de todas as tradições” e de “todo o conhecimento histórico” das 43 freguesias do concelho.

O antropólogo Paulo Lima, responsável pela elaboração da “Carta da Paisagem da Guarda”, vai desenvolver “um trabalho relevante com uma importância determinante que permitirá revisitar os lugares e partilhar experiências que nos reportam a um passado que ainda hoje faz parte das vivências locais”, segundo o autarca.

Paulo Lima foi responsável pelas candidaturas do Fado e do Cante Alentejano, entre outras, a Património da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A elaboração da ‘Carta da Paisagem da Guarda’ tem o prazo de execução de cerca de um ano e envolve um investimento de cerca de 24 mil euros (mais IVA), de acordo com o presidente do município.

Fonte: Notícias ao Minuto