França aprova restituição de “espólios de guerra” a Senegal e Benim

68

Quai Branly-Jacques Chirac

A Assembleia Nacional Francesa aprovou na terça-feira, por unanimidade, um projeto de lei para a restituição ao Senegal e ao Benim de bens culturais levados para França como “espólios de guerra” durante a ocupação colonial.

A devolução ao Benim envolve 26 peças, entre estátuas, tronos reais e portas ornamentadas, pertencentes ao “Tesouro de Béhanzin”, que são provenientes da pilhagem do palácio de Abomey, em 1982, e que se encontram atualmente expostas no museu Quai Branly-Jacques Chirac, em Paris.

Já o Senegal deve recuperar a posse de um sabre, e a sua bainha, pertencente a El Hadj Omar Tall, figura militar e religiosa da África Ocidental no século XIX, que pertence ao Museu da Armada de Paris, mas encontra-se em exposição em Dakar, ao abrigo de um empréstimo de longo prazo.

O projeto de lei responde a um desejo de reconstruir as relações culturais de França com o continente africano, manifestado pelo Presidente Emmanuel Macron, em 2017, em Ouagadougou.

A restituição desses “espólios de guerra” faz parte de um “desejo fortalecido de cooperação” com esses dois países, garantiu o ministro francês do Comércio Externo, Franck Riester.

Porém, os opositores apontam o risco de o projeto de lei vir a estimular pedidos de restituição descontrolados que perturbem as relações internacionais, como a reivindicação da Grécia para a devolução dos frisos do Pártenon, que se encontram expostos no museu britânico, em Londres.

(…)

Fonte: TSF