Hotel em Mesão Frio pode ameaçar classificação do Douro Património Mundial

195

Douro

A construção de um hotel de cinco estrelas em Mesão Frio, no distrito de Vila Real, pode vir a tirar ao Alto Douro Vinhateiro o estatuto de Património Mundial. A ameaça está num parecer do ICOMOS, o Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios associado à UNESCO, organismo que atribuiu o galardão à região onde se produz o vinho do Porto, em 2001.

No parecer do ICOMOS considera-se que “a intervenção proposta afeta diretamente os critérios que serviram de base para a inscrição do Douro Vinhateiro na lista do Património Mundial” e aconselha o Estado português a “não conceder a licença de construção do empreendimento Douro Marina Hotel”.

O empresário Mário Ferreira garante à TSF que o projeto do complexo turístico, no valor de 30 milhões de euros, está a “cumprir exatamente aquilo que foi exigido”, que “foi aprovado e publicado em Diário da República, e que “em nada afeta o Douro que é Património da Humanidade”. Caso contrário, nota, “isso já teria sido detetado há mais de dez anos, quando foi aprovado”.

O presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Alberto Pereira, defende o empreendimento turístico no concelho e diz que não entende nova polémica à volta da construção. Refere que não se trata de “um mamarracho”, apesar de ter “uma altura até 18 metros”, e que foi projetado para “uma zona sem vinha e que está a monte há 10 anos”.

Alberto Pereira realça ainda a importância que o Marina Douro Hotel teria na geração de emprego, pois estão previstos “mais de 200 postos de trabalho diretos e muitos mais indiretos”.

E como o Douro precisa de criar emprego como de pão para a boca, pode contribuir para amenizar a sangria populacional da região e evitar que “morra da cura”. “Se continuarmos neste caminho não vamos conseguir segurar os jovens, que também querem ter outro tipo de empregos para além da vinha”, frisa o autarca. Alberto Pereira reforça: “Se continuarmos a perder população como aconteceu na última década, daqui a 10 ou 20 anos vamos ter vinhas e não haver quem viva cá!”

O projeto do Douro Marina Hotel prevê 180 quartos e um campo de golfe no lugar da Rede, em Mesão Frio. O processo de licenciamento tem mais de duas décadas, já foi recusado por duas vezes e volta a estar em consulta pública até 29 de janeiro, no portal Participa.pt.

A última palavra caberá à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte.

Fonte: TSF