Museu Nacional de Arte Antiga interrompe restauro dos painéis e prepara nova exposição

205

Museu Nacional de Arte Antiga, Painéis de S. Vicente

O Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, viu-se forçado a parar o restauro dos Painéis de São Vicente devido à pandemia covid-19, mas continua a preparar a principal exposição de 2021, centrada nos 500 anos da morte do rei Manuel I.

O processo de restauro do mítico políptico estava a decorrer à vista dos visitantes do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) desde maio de 2020, com as pinturas instaladas numa “casa” própria, para serem alvo de exames com tecnologia muito sofisticada.

Descoberto no Mosteiro de São Vicente de Fora, em Alfama, Lisboa, em 1882, o políptico foi alvo de um grande restauro pela mão de Luciano Freire, em 1909 e 1910, e outro, já nos anos de 1950, por um seu aprendiz, Fernando Mardel.

Enquanto decorre o confinamento, a direção do MNAA está a fazer diligências para prolongar a atual exposição “Guerreiros e Mártires”, sobre os 800 anos do martírio de um grupo de franciscanos italianos no norte de África.

“Estamos a tentar obter a autorização da maior parte dos emprestadores para estender mais um mês, pelo menos, esta exposição, que estava para terminar no final de fevereiro, para tentar ficar até ao fim de março”, indicou Joaquim Caetano, sobre as peças cedidas por 50 a 60 entidades.

Além desta, o MNAA está a preparar “a grande exposição deste ano” no museu, que é a dos 500 anos da morte do rei Manuel I, para julho.

Fonte: Observador

Siga-nos