Exposição ‘Tudo o que eu quero – Artistas portuguesas de 1900 a 2020’ dá a conhecer obras de artistas portuguesas

122

Fundação Calouste Gulbenkian

A exposição ‘Tudo o que eu quero – Artistas portuguesas de 1900 a 2020’ vai reunir cerca de 200 obras produzidas por 40 mulheres, a partir de 1 de junho, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Inicialmente programada para inaugurar a 25 de fevereiro em Bruxelas, no Palácio de Belas-Artes (Bozar), foi deslocada para Lisboa depois de um incêndio, no início do ano, ter inviabilizado a sua apresentação nesse espaço, no âmbito do Programa Cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia.

Entre 1 de junho e 23 agosto de 2021, a exposição vai apresentar obras de pintura, escultura, desenho, objeto, livro, instalação, filme e vídeo, produzidas por artistas como Maria Helena Vieira da Silva, Lourdes Castro, Paula Rego, Ana Vieira, Salette Tavares e Helena Almeida.

Joana Vasconcelos, Maria José Oliveira, Fernanda Fragateiro, Sónia Almeida e Grada Kilomba, entre outras, também estarão representadas na mostra, que vai do início do século XX até à atualidade.

Com curadoria de Helena de Freitas e de Bruno Marchand, a exposição resulta de uma iniciativa do Ministério da Cultura com produção executiva e projeto curatorial da Fundação Gulbenkian, incluída no Programa Cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia.

Para mais informações (+)