Germano Silva doa trabalho de 70 anos à cidade do Porto

553

germano_silva

Mais de 70 anos de busca e de recolha de documentação relacionada com a história da cidade ficará à custódia da Casa do Infante. A coleção é constituída por documentos muito ricos, raros, únicos, até. São livros, apontamentos manuscritos, monografias, atas, faturas de instituições públicas e privadas, cartazes e recortes de jornais e tantos outros testemunhos históricos, alguns a remeter ao século XVIII e outros, ainda mais, relacionados com os episódios e com as narrativas das lutas em que o Porto da tradição liberal se envolveu já no século XIX.

“Há 70 anos – conta Germano Silva -, comecei a frequentar os alfarrabistas, os antiquários, a ir a leilões, para ver as coisas. À medida das minhas possibilidades, fui comprando documentos que diziam respeito ao Porto, muita documentação, papéis, faturas, a que naquela altura ninguém ligava, mas que hoje são importantes. E cheguei à conclusão que tinha um grande acervo, muitos documentos, alguns originais, muito interessantes, e que era a altura de colocar tudo isto à disposição dos “historiosos” e dos estudiosos da cidade.”

Da lista de centenas de documentos que recolheu e colecionou ao longo de décadas e que agora oferece à cidade, o bibliógrafo não destaca nenhum em particular. A avaliação ficará para o decurso do tempo.

“O importante é este sentimento de partilha, para que historiadores, estudiosos e curiosos possam consultar estes documentos, que são importantes para a história da cidade”, sublinha Germano.

O espólio que Germano Silva doa ao Arquivo Histórico Municipal do Porto há de também entrar na exposição que assinalará o 90.º aniversário do jornalista e historiador da cidade. O dia da festa é a 13 de outubro próximo.

Fonte: JN