Igreja de Santa Clara do Porto abre ao público após obras de restauro superiores a €2,5M

147

Igreja Santa Clara, Porto

No próximo dia 22 de outubro, a Igreja de Santa Clara, no Porto, irá reabrir ao público.

A obra de conservação e restauro deste imóvel, classificado como Monumento Nacional desde 1910, implicou um investimento global de mais de 2,5 milhões de euros. A cerimónia de inauguração vai contar com a presença da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira.

A Operação “Igreja de Santa Clara do Porto” teve início em 2016 e termina agora com a recuperação deste lugar de relevo na cidade, referência do barroco nacional e um dos maiores exemplares da talha dourada em Portugal, possibilitando, simultaneamente, uma melhoria das condições de receção do visitante.

Nos últimos cinco anos os trabalhos de reabilitação incidiram sobre o sistema construtivo e estrutural do edifício; a remodelação das infraestruturas elétricas, de telecomunicações e de segurança; a redução de barreiras arquitetónicas e a criação de condições de visita.

Também o património integrado foi alvo de uma intervenção profunda. Cerca de uma centena de trabalhadores da área da conservação e restauro, de diferentes especialidades, integraram a intervenção de todo o espólio artístico do imóvel, englobando a talha dourada e policromada, a escultura, a pintura de cavalete, a pintura mural, a pedra, o azulejo, os metais e o património organístico.

A intervenção foi acompanhada por uma ampla investigação histórica que incluiu o todo do agora extinto e fragmentado Convento de Santa Clara do Porto, do qual sobreviveu a igreja (hoje igreja paroquial), o claustro (hoje integrado na sede do Comando Metropolitano da PSP) e a cerca (incluindo o troço mais bem conservado da muralha medieval do Porto, classificado como Monumento Nacional).

A intervenção proporcionou  uma oportunidade irrepetível de observação direta e interpretação do edificado e respetivo património, incluindo a descoberta de elementos  até então desconhecidos, como várias pinturas sobre madeira, datadas do séc. XVII, que ilustram santos, nomeadamente Santa Clara; uma lápide em granito datada de 1645, que informa sobre a obrigatoriedade de as religiosas do convento dizerem missa diária pela alma do abade de Vandoma, ali sepultado; ou, sob os elementos de talha setecentista, as pinturas de anjos alados, correspondentes a uma anterior campanha decorativa do espaço.
A Operação “Igreja de Santa Clara do Porto”, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte, foi comparticipada em 85% pelo Programa Operacional Norte 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, com o Mecenato da Irmandade dos Clérigos e da Fundação Millennium BCP. Extra candidatura contou com o apoio da Associação Comercial do Porto e da Câmara Municipal do Porto.

Fonte: DRCN