Livraria Lello apela a que livros passem a ser “objeto de prescrição”

142

Livraria Lello

A administração da Livraria Lello, no Porto, enviou uma carta aberta aos líderes parlamentares e deputados da Assembleia da República a apelar que os livros passem a ser “objeto de prescrição médica” e “tratados fiscalmente como despesa de saúde”.

Sob o lema “Um Livro, pela sua Saúde”, na carta, a que a Lusa teve hoje acesso, a administração daquele espaço diz não querer que o “fim anunciado da pandemia” signifique “o fim do olhar para o livro como bem de primeira necessidade”.

Salientando que “nunca, como agora, se discutiu tanto a saúde mental”, a missiva defende que os livros são “um alicerce insubstituível de sanidade mental”.

“Numa altura em que se discutem ideias para o Orçamento de Estado para 2022 a Livraria Lello apela publicamente aos políticos e à Assembleia da República que permitam que os médicos portugueses receitem, sempre que o entendam útil à saúde mental dos seus pacientes, o singelo Livro”, referem.

Fonte: Notícias ao Minuto