Museu da Imprensa assinala centenário do jornalista Nuno Teixeira Neves com exposição virtual

141

exp_virtual_mnimprensa

Cem anos, cem jornais, assim se denomina a exposição virtual que o Museu Nacional da Imprensa apesenta, abrindo as comemorações do centenário do jornalista Nuno Teixeira Neves (1922-2007).

Natural de Mirandela, o jornalista fez toda a sua carreira profissional do Jornal de Notícias, de 1957 a 1987. Foram 30 anos de intervenção jornalística, marcados sobretudo pela coluna “Ser Cidadão”, publicada na última página do jornal, pouco depois do 25 de abril de 1974. Foram mais de 700 artigos sobre temas variados e que permitem ler-se a evolução da democracia portuguesa.

Além dos cem jornais (quase todos JN), a exposição apresenta também uma síntese bio-bibliográfica de Nuno Teixeira Neves. Mais tarde, esta mostra ficará fisicamente patente nas instalações do Museu.

Num texto de apresentação da exposição virtual, o diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, diz que o homenageado “honra, de forma notável, o jornalismo da 2ª metade do Séc. XX” e que “deixou uma marca inapagável no jornalismo e indispensável à cidadania”.

No âmbito da celebração do centenário, o Museu anuncia que haverá debates, lançamento de livros (obras inéditas) e uma exposição documental em Mirandela, no quadro de uma parceria com a respetiva Câmara Municipal.

Nuno Teixeira Neves foi também ensaísta e publicou vários livros, alguns dos quais marcados pelas prisões políticas que teve de suportar na PIDE.

Fonte: Museu Nacional da Imprensa

Siga-nos