José Pedro Croft exibe obras dos últimos dois anos no Museu Vieira da Silva

31

exp_pedro_croft_museu_vieira_silva

O artista plástico José Pedro Croft vai apresentar trabalhos em escultura, desenho e gravura produzidos, na sua maioria, nos últimos dois anos, a partir de 26 de janeiro, no Museu Arpad Szenes — Vieira da Silva em Lisboa.

A exposição tem por título “Et sic in infinitum” (“E assim até ao infinito”, em tradução livre), e ficará patente nas salas das exposições temporárias da Fundação Arpad Szenes — Vieira da Silva até 28 de maio.

Comissariada por Sérgio Mah, a exposição apresenta obras do artista nascido no Porto, em 1957, que “revelam elementos de círculos ou de circunferências, em planos mais abrangentes ou parcelares, submetidos a variações cromáticas, a cortes, descentramentos e sobreposições”, descreve um texto do museu enviado à agência Lusa sobre a iniciativa que conta com o apoio mecenático da Fundação Vítor e Graça Carmona e Costa.

Deste modo, partindo de uma mesma forma básica e arquetípica, “o artista explora um imenso campo de possibilidades estéticas e percetivas, através de uma sucessão de permutações que indaga a volatilidade e a impermanência das formas”.

O título “Et sic in infinitum” é uma citação da frase que consta em cada um dos lados de um desenho de Robert Fludd (1574-1637), reproduzido num livro do cosmologista, matemático e físico.
Para mais informações (+)
Siga-nos