José Pacheco Pereira vence Prémio Vasco Graça Moura — Cidadania Cultural

370

JosŽ Pacheco Pereira

O Prémio Vasco Graça Moura — Cidadania Cultural, no valor de 20.000 euros, foi atribuído ao investigador José Pacheco Pereira, pelo “seu percurso de vida” constituir um inequívoco exemplo de cidadania cultural.

O júri, ao qual presidiu Guilherme d`Oliveira Martins, membro da Academia das Ciências de Lisboa, escolheu José Pacheco Pereira, 74 anos, “atendendo ao seu percurso de vida no tocante ao empenhamento em prol da defesa do interesse público, em especial quanto ao conhecimento histórico e à preservação do património cultural, graças à criação da Biblioteca e Arquivo Ephemera, que tem permitido a reunião de documentos e objetos únicos, indispensáveis para a melhor compreensão dos acontecimentos da história política portuguesa”, lê-se na declaração enviada à agência Lusa.

O ex-deputado “recolheu, classificou, organizou e estudou de forma sistemática documentação sobre a vida política portuguesa”.

Pacheco Pereira dedica-se desde há muito à preservação de livros, periódicos, documentos e objetos ligados à memória da história contemporânea portuguesa, criou e mantém o Arquivo/Biblioteca Ephemera, no Barreiro, “o maior arquivo privado português”, recorda o mesmo documento.

A sua biblioteca pessoal, instalada na Marmeleira, no distrito de Lisboa, onde reside, tem cerca de 110.000 volumes, sendo apontada como uma das maiores bibliotecas particulares do país.

Siga-nos