“Rede de Museus e Equipamentos de Évora” já está a funcionar

530

evora

João Brigola, professor da Universidade de Évora e antigo director do Instituto dos Museus e da Conservação, é o mentor do projecto. Há ano e meio, juntou à mesma mesa a instituição de ensino superior a que pertence, a Câmara de Évora, a Fundação Eugénio de Almeida e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo.

“A universidade tinha a independência e os conhecimentos globais sobre o património de Évora, mas faltava uma agregação”, conta à Renascença, depois de “um trabalho mais simples do que se poderia imaginar” e com todos os parceiros a “perceberam o que tinham a ganhar numa perspectiva de rede complementar”.

Aos parceiros iniciais, juntaram-se também a Arquidiocese de Évora, a Biblioteca Pública de Évora, Palácio Cadaval, Museu do Relógio e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Agora apresentada, a “Rede de Museus e Equipamentos de Évora” identifica, nesta fase, 17 pontos de referência museológica, a maioria junto à acrópole romana e determina a promoção e a melhoria da informação sobre os pólos culturais de relevo a nível patrimonial e turístico, na cidade que está a comemorar 30 anos da classificação de Património Mundial da UNESCO.

“O que há de novo aqui é que estas entidades decidem entender-se quanto à criação de uma plataforma comum de gestão da oferta cultural a partir dos seus museus e colecções, criando uma rede museológica na cidade”, indica Eduardo Luciano.

Fonte: RR

Artigo completo (+)