“Memórias da Aldeia” guarda testemunhos das tradições portuguesas

138

Uma iniciativa intitulada Memórias da Aldeia está a recolher testemunhos e documentos das tradições de aldeias portuguesas para guardar as histórias e o património destes territórios, divulgaram esta segunda-feira, 8 de Abril, os responsáveis.

A recolha das memórias surge no âmbito do projecto Há Festa na Aldeia e arrancou em três aldeias do distrito do Bragança, estando previsto percorrer outras durante os próximos meses. Este trabalho resulta de um parceria com o programa Memória para Todos, um projecto de formação e investigação colaborativa e de ciência cidadã desenvolvido por uma equipa de investigadores do Centro República e Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova (NOVA FCSH) e pela Associação Keep.

De acordo com os responsáveis, trata-se de “um programa de registo em áudio e vídeo de testemunhos orais e de digitalização de documentos e objectos que permitem contextualizar e integrar de forma transversal os diferentes protagonistas na narrativa histórica”.

Este trabalho de recolha começou nas aldeias de Talhas, em Macedo de Cavaleiros, Paradela, em Miranda do Douro e Rio de Onor, em Bragança, “com a recolha de cerca de 40 testemunhos e mais de 200 documentos e objectos”.

O projecto Memórias da Aldeia tem por missão “identificar, patrimonializar e divulgar as histórias e memórias relacionadas com a vida nas aldeias recorrendo à história oral e ao registo de colecções pessoais, contextualizada”, como sustentou Maria Fernanda Rolo da NOVA FCSH e coordenadora científica do programa Memória para Todos.

O nome Há Festa na Aldeia é inspirado no filme de Jacques Tati e coordenado pela ATA — Associação de Turismo da Aldeia, que envolve oito localidades do Norte do Portugal e tem como missão principal “combater o isolamento”, trabalhando com os parceiros locais na recuperação de tradições e organização de eventos para levar vida às aldeias.

Fonte: Público

Projecto “Há festa na aldeia” (+)